Como me tornei personal organizer (e onde a organização pode te levar)

Tudo começou em 2016, quando eu não estava mais contente com a minha profissão. Eu era coordenadora de atendimento ao cliente em uma concessionária, em Piracicaba, interior de São Paulo. Uma colega de trabalho me apresentou a organização como quem não quer nada, e isso mudou a minha vida. Foi como um flash. Voltei 20 anos, quando tinha apenas nove e me divertia arrumando o armário das minhas amigas ao invés de brincar.

 

Como me tornei personal organizer (e onde a organização pode te levar) (Foto: Wesley Diego Emes)A colunista Cora Fernandes fala sobre sua experiência pessoal e profissional com o mundo da organização (Foto: Wesley Diego Emes)

 

Não esperei nem mais um segundo. Pedi dispensa no dia seguinte e decidi me dedicar e aprender mais sobre aquilo que fez brilhar meus olhos. Com um ano de profissão, comecei a mostrar meu trabalho nas redes sociais com mais frequência, e notei a necessidade desse conteúdo para pessoas que não têm como pagar pelo meu trabalho. Era habitual receber o seguinte comentário: “isso só serve para quem tem closet”. Depois de muito ler isso, quis mudar essa realidade.

+ 5 ideias de organização que atrapalham mais do que ajudam

Fui bastante criticada por algumas pessoas. Até cheguei a ouvir que profissionais do ramo ficariam sem trabalho. Para ser sincera, nunca acreditei nessa possibilidade, porque não é sobre isso! É sobre dar oportunidade para todos viverem de organização, tanto para aqueles que podem pagar pelo meu trabalho, quanto para aqueles que vão aprender algo com o meu conteúdo.

Como me tornei personal organizer (e onde a organização pode te levar) (Foto: Arquivo pessoal)Closet organizado por Cora Fernandes (Foto: Arquivo pessoal)

 

Com o tempo, vi que pessoas que pagam pelo trabalho de personal organizer não são leigas. Elas consomem conteúdos, estão realmente interessadas e até sabem como as roupas serão dobradas, por exemplo. Antes que o profissional fale, já notam a necessidade de alguma alteração no mobiliário.

+ 8 dicas para uma organização eficiente da cozinha

A minha percepção é que, com o passar do tempo, as pessoas criam intimidade com os seus pertences e descobrem o que precisam para chegar até a organização desejada, contratando a mão de obra ou colocando a mão na massa por conta própria. Para além disso, essa intimidade contribui muito com o planeta. Reflita: você já se deu conta de quantas roupas teria deixado de comprar se tivesse um closet organizado? E quanto de energia elétrica teria economizado com o ferro de passar se soubesse como acomodar suas peças corretamente?

Como me tornei personal organizer (e onde a organização pode te levar) (Foto: Arquivo pessoal)Armário organizado por Cora Fernandes (Foto: Arquivo pessoal)

 

A verdade é que a organização é uma reeducação necessária para todos, e cada um com seu jeitinho! Beijo, beijo, e até a próxima. 

 

*Desde menina, aos nove anos, arrumar o guarda-roupas das amigas era uma diversão para Cora Fernandes. Com o tempo, a brincadeira virou profissão e, em 2016, tornou-se personal organizer. No ano seguinte, teve a oportunidade de organizar o closet de atrizes como Aretha Oliveira, Sheron Menezzes e Fernanda Souza. Nas redes sociais, e agora na coluna Organize A Casa, ela mostra a importância da organização na vida familiar, profissional e social das pessoas.