Exposição revela a arquitetura e o modo de viver da população ribeirinha do Pará

Em uma tenda de 400 m², ao lado da Basílica Santuário Nossa Senhora de Nazaré, em Belém, Pará, a exposição Caboclos da Amazônia – Arquitetura, Design e Música concebida pelo designer Carlos Alcantarino, celebra o universo dos ribeirinhos amazonas revelando seus hábitos, moradias e tradições.

Exposição revela a arquitetura e o modo de viver da população ribeirinha do Pará (Foto:  )Registro do designer das casas da população do Pará (Foto: Carlos Alcantarino)

 

 

 

 

Móveis, objetos, pinturas, vídeos e fotografias te convidam a encantar-se com a explosão de cores vibrantes das casas amazônicas e reverenciar as tradições do Norte do país, muitas vezes desvalorizadas. A mostra conta com seis diferentes salas, cada uma apresentando um aspecto da vida dessa população.

"Nas recentes viagens ao Pará, eu detive o olhar nas casas coloridas à beira do rio, casas simples, mas de uma beleza única. Fotografei várias delas em vilas de pescadores e pequenos lugarejos. Com base nesses registros, percebi que eu poderia agregar outras expressões artísticas nessa pesquisa”, comenta Alcantarino.

Stilt homes on the banks of the Rio Negro at dusk. Location: Daracoa village is located on a remote sandbar in the Amazon Rio Negro river (black river, Negro river), about 2 days upstream from Manaus, Rio Negro, Amazonas (Amazon Basin), Brazil (Foto: Getty Images)Casas à beira do Rio Negro, na Amazônia (Foto: Getty Images)

 

Na chamada Sala das Letras, estão estampadas as letras vitorianas que nomeiam os barcos amazônicos feitas por artistas de diferentes regiões, que são chamados de "abridores de letras". Já em outro espaço dedicado à arquitetura das residências ribeirinhas, pode-se conferir mais de 103 fotografias das fachadas das construções coloridas da Ilha de Marajó e Ilha do Combu.

Além dos objetos e fotografias, o designer selecionou vídeos e instalações para a ambientação da exposição oriunda do mais puro sentimento caboclo, conta: "mostramos o carimbó, dança de roda típica do Pará, marcada com tambor. A guitarrada, um gênero musical no qual o instrumento é utilizado para solo com outros ritmos locais, e as festas de aparelhagens, formadas por grandes estruturas sonoras e de iluminação, que reproduzem o repertório tecnobrega”.

Simple homes, made of wood (Foto: Getty Images/iStockphoto)Casas ribeirinhas (Foto: Getty Images/iStockphoto)

 

A decoração das casas também terá destaque na exposição, evidenciando a maneira única dos ribeirinhos de exagerar nas cores de paredes, móveis e tecidos, com 16 fotografias expostas em painéis. Vale a visita!

SERVIÇO
Caboclos da Amazônia – Arquitetura, Design, Música
Quando: até 19 de junho de 2022
Onde: no estacionamento do Centro Social de Nazaré, ao lado Basílica Santuário, em Belém (PA)
Visitação: de terça-feira a domingo, das 16h às 22h