Tudo sobre a minari, planta de origem asiática com propriedades medicinais

É provável que você tenha ouvido falar no nome deste vegetal por causa do filme coreano homônimo que concorreu em várias categorias do Oscar 2021 e faturou a estatueta de melhor atriz coadjuvante. Assim como o longa, a planta minari é de origem asiática e conhecida, também, como salsa-de-água, pois é facilmente encontrada à beira de rios e áreas com fontes de água.

 

 

 

 

Tudo sobre a minari, planta de origem asiática com propriedades medicinais (Foto: Reprodução / Instagram/ @kuudining)Versátil, a minari pode ser consumida em refogados, sopas, cozidos, molhos e saladas (Foto: Reprodução / Instagram/ @kuudining)

 

De acordo com a jardineira e paisagista Gabi Bourroul, da responsável pela empresa Flor de Café Plantas, todas as partes da Oenanthe javanica (como é cientificamente chamada) são comestíveis, desde a raiz até os brotos. A especialista afirma ainda que a planta se assemelha à salsinha que consumimos no Brasil, além de apresentar efeitos desintoxicantes.

Por ser uma espécie adaptada ao clima coreano, a minari floresce durante o verão do país asiático, que ocorre entre junho e agosto. Neste período, surgem as delicadas flores brancas características do vegetal, caso ela receba os cuidados necessários para se desenvolver adequadamente.

Como cultivar a minari em casa

 

 

Tudo sobre a minari, planta de origem asiática com propriedades medicinais (Foto: Reprodução / Instagram/ @mini_urban_garden)Gabi Bourroul recomenda que a minari não seja colocada em ambientes externos e sem proteção, já que o clima tropical não é o mais adequado para ela. Ademais, locais escuros, sem ventilação ou umidade, também não são indicados (Foto: Reprodução / Instagram/ @mini_urban_garden)

 

Mesmo que o clima brasileiro seja diferente do vivenciado na Coreia, Gabi explica que é possível ter a minari em casa: “Para isso, escolha um lugar bem iluminado e protegido do sol forte”, diz. Apesar de necessitar de luz natural, é válido lembrar que a espécie não se adapta  totalmente ao calor extremo no Brasil (quando os termômetros chegam perto dos 40º C).

Quanto ao lugar para cultivá-la, Gabi indica que ela faça parte da horta caseira, de preferência, na cozinha, e perto de alguma janela. Afinal, quem não gosta de ter os temperos frescos sempre à mão? “Se você não tiver espaço na cozinha, uma horta vertical, em alguma parede, é uma boa opção.”

A seguir, a especialista ensina o passo a passo do cultivo da minari. Confira:

1. Escolha um vaso com furos e coloque uma camada de algum material capaz de drenar a água (argila expandida, pedras ou telhas quebradas).

2. Em seguida, adicione uma manta de drenagem. Ela protege a raiz do vegetal contra o excesso de água e evita a erosão de terra e nutrientes, com as regas. Conforme Gabi, a manta de bidim é a mais indicada para essa função, mas nada impede o uso de um pano de prato poroso.

3. A próxima etapa é acrescentar o substrato. Uma boa receita para hortaliças que requerem mais umidade, como a Oenanthe javanica, é uma mistura de terra vegetal, húmus, areia e carvão vegetal triturado.

4. Depois, coloque as sementes e adicione mais substrato.

5. Por fim, faça uma camada com a cobertura vegetal do vaso ou canteiro, que protege a planta contra pragas e fungos, mantém a umidade e também deixa nutrientes disponíveis para a terra, caso sejam matérias orgânicas. Você pode usar palha, serragem, casca de pinus, fibra de coco, carvão, pedras e areias em geral, folhas secas e aparas de grama.

Dicas de manutenção

De acordo com a especialista, o substrato das hortaliças deve ser renovado após a colheita ou entre estações. “A cada três meses, o ideal é retirar até dois centímetros de substrato do vaso ou canteiro e completá-lo com húmus ou o adubo orgânico de sua escolha. Isso garante o desenvolvimento saudável da planta.”

 


Sobre as regas, é importante que sejam diárias, mantendo a umidade da minari sempre alta. Apesar de as podas de hortaliças ocorrerem naturalmente, quando colhidas para consumo, Gabi indica que sejam feitas podas destinadas à limpeza, com a retirada de folhas secas e flores mortas.